A tecnologia vai nos separar ou nos aproximar?

Edson Pavoni é um artista e tecnologista que investiga a intimidade humana em sua intersecção com a tecnologia.
Vídeo introdução, 3 min.

Obras Selecionadas

site specific / 2022
O primeiro satélite do Sul Global com uma missão artística. Com ele, qualquer pessoa poderá enviar para o céu o nome de alguém que já faleceu.
Templo Orbital no espaço.
Render 3D por RiseNY&Partners.
Templo Orbital na Bienal do Mercosul
em Porto Alegre, Brasil. Foto por Clara Marques.
instalação performática / 2022
Uma instalação feita com monitores cerebrais capazes de ler a atividade neural de dois participantes enquanto se olham. Os dados coletados são então usados para criar um desenho generativo que é projetado sobre uma pintura a óleo de Lyora Pissarro.
Duas pessoas participam da instalação Landscapes of the Mind
em Nova Iorque, USA. Foto dos artistas.
exposição / 2022
Uma coleção de pinturas digitais geradas por IA que reinterpretam o que consideramos sagrado. Junto com a artista Juliana Freire, as obras foram cocriadas com um software que analisou mais de 14 milhões de imagens de representações multiculturais do que pensamos ser sagrado.
Sacred in Flux exibido em São Paulo, Brasil.
Fotos por Filipe Berndt.
instalação cinética / 2022
Uma instalação que capta em tempo real os movimentos dos ventos de uma floresta protegida no Sul do Brasil e os traduz em um painel cinético de 10 metros de comprimento com cerca de 160 esculturas de papel, montado em um dia por mais de 500 participantes.
A instalação Timidez das Copas
Videos por Clara Marques e Piero Davila.
arquitetura e plataforma digital / 2020-
Uma plataforma digital e um projeto para um monumento físico dedicado a contar as histórias das vítimas do Coronavírus no Brasil.
Plano para o Memorial Inumeráveis.
Render 3D Renderings por RiseNY&Partners.
instalação / 2020
Uma escultura luminosa de 24 metros de altura que materializa as conexões invisíveis do mundo da arte húngara. Também uma coleção de NFT feita em colaboração com o pioneiro cientista de rede Albert-Laszlo Barabási.
Invisible Blue no Ludwig Museum of Contemporary Art.
Fotografia por Bálint Jaska.
instalação cinética / 2019
Uma instalação composta por seis jardins suspensos auto-irrigáveis que se movem, através de um mecanismo especializado, de acordo com as necessidades das plantas. Quando visitantes humanos se aproximam, o jardim se coloca ao nível de seus olhos.
Over the Face of New Waters. Foto por Gee Galvão.
cenografia / 2019
Uma experiência imersiva na interseção entre teatro e performance. Escrita e protagonizada por Gabriela Veiga, a peça usa projeções visuais generativas para explorar temas de dor, beleza, luto e vida após a morte.
Gabriela Veiga interage com projeções feitas com tecnologia
generativa. Imagens por Rodrigo Rosa & Giorgio D'Onofrio.
instalação site-specific / 2018
Uma instalação espelhada interativa que é ativada quando três visitantes param em cada um dos seus cantos. Aborda um intenso estado de conexão em que seu resultado leva à fragmentação de toda a sua estrutura.
Participantes interagem com A Petal for Three em São Paulo.
Foto por Rafael Socrates.
instalação cinética / 2017
Um painel de 22 metros que reflete seus transeuntes através de imagens que se assemelham a criaturas, geradas por algoritmos que reagem aos seus movimentos.
The White Mirror, painel é ativado quando pessoas passam por ele.
Imagens por Rafael Socrates.
série fotográfica / 2015-
Uma série fotográfica em andamento na qual o artista pesquisa as respostas humanas ao toque e a qualidade das conexões que surgem desse ato.
First Sense é uma série de fotografias em andamento
por Edson Pavoni.
instalação performática / 2013
Uma instalação performática que transforma as histórias de amor dos participantes em esculturas únicas impressas em 3D.
The Love Project foi uma instalação performática.
Imagens por Jorge Teivelis Neto.
instalação site-specific / 2013, 2015
Uma ponte sensorial instalada pela primeira vez entre a China e o Brasil. Quando uma pessoa tocou no vidro da instalação em Pequim e outra no vidro em São Paulo, as duas sentiram fisicamente como se tivessem se tocado. Em 2015, também foi apresentado em dois bairros diferentes de Dubai.
A Place to Departure na China, fotografado por Pedrinho
Fonseca. Imagens da instalação em Dubai por Edson Pavoni.

Poesia

In Honor of the Land

2022
in honor of the land
I pledge my attention
to the mountains of colored minerals
that raised themselves
before there were any eyes to see
how the sky painted them with light

in honor of the land
I pledge my attention
to the green fields that spoon
the gray line of the horizon
were the last wild horses run

in honor of the land
I pledge my attention
to the ocean of green trees
the forest being protect by my ancestors
and the xapiripë spirits

in honor of the land
I pledge my attention
to the rivers from below
painted in gold by the nearest star
drawing themselves
in curved unproductive lines
in no hurry to find the ocean

in honor of the land
I also pledge my attention
to the rivers of above
swimming in the sky before being rain

and the rain, my friend,
way before touching anything
will seduce you with its perfume
as Oxum, the Orixá of seduction does

in honor of the land
I pledge my attention
to the best roommates on this planet
the other sentient beings
having the best time when we are not around

in honor of the land
I pledge my attention to outer space
our environment above the sky
with the lights from the past
and the technology of the present
helping me see our world as finite as I am

in honor of the land
I pledge my attention.
Video poetry, 2 min.

Half Oxum

2019
behind the curtain of a waterfall
standing half Oxum half mirror
a woman showing no fear of being naked
opens her eyes looking exactly into mine
and without moving anything but her arm
takes a rose crystal egg from
the place in her body that bleeds

Uma ideia multiplanetária para um futuro não distópico

A Place to Departure em Marte

2030?
Mais cedo do que esperamos, a humanidade se tornará multiplanetária. Na verdade, Marte parece ser o nosso primeiro destino. Se assim for, significa que os humanos estarão distantes uns dos outros como nunca estivemos em nossa história: ou seja, 290 milhões de quilômetros de distância. Poderemos ver aqueles em Marte, ouviremos as vozes de nossos entes queridos, mas provavelmente nunca mais os poderemos tocar.

A missão de A Place to Departure é tornar possível o contato humano interplanetário. Pretende ser uma ponte duradoura para que nunca percamos o contato.
image
image
image
Planos para A Place to Departure em abrigos humanos em Marte
Render 3D por Guilherme Bullejos.